domingo, 14 de junho de 2009

Uma andorinha só não faz verão.

É madrugada, perdi o sono. A isto se chamam insônia, a gente procura o sono e não o encontra, estamos numa madrugada fria do mês de junho da primeira década do século XXI. Salvo algumas alterações do efeito estufa dizem, graças a Deus o mundo continua mais ou menos o mesmo, faz frio, faz calor, chove, as estações se sucedem, as crianças nascem, os animais se reproduzem. O vento sopra nas folhas das arvores, esta época do ano as folhas secam mais e caem forrando o chão e são tocadas pelo vento invernal. Os dias são muito límpidos, o ar parece diáfano e sopra um friozinho até gostoso. Só sinto falta um pouco é do fogão de lenha dos tempos da roça, e cozinhar batata doce e pinhões na brasa. Na cabeça, embora um pouco vazia, venha pensamento esparsos de minha vida, eu e minha esposa não nos entendemos muito. Nossos gostos diferem, cada um gosta de uma coisa, gosto dos filmes legendados e ela dos dublados. Gosto de filmes românticos e ela não. Gosto de ir ao cinema e ela não aprecia. Às vezes gosto de conversar com amigos e ela não aprecia, procuro colocar pra ela que ninguém é uma ilha, não somos o Robson Crusoé. Li em algum lugar que um casal pelo menos para combinar tem que olhar pelo menos na mesma direção, ou seja, termos os mesmos objetivos. Mas parece que nem tudo está perdido, pois concordamos na educação de nossa filha. Tenho procurado gostar também do que ela gosta e fazer na medida do possível os seus gostos. Procurar ter mais paciência com suas pequenas fraquezas, ser mais tolerante, com os detalhes, as pequenas coisas que não afetam o conjunto total da obra. Acho que a concordância tem que ser genérica. Duas pessoas nunca irão concordar totalmente com tudo, nem mesmo os gêmeos uni vitelinos. Há diferenças de todas as espécies: físicas, psicológicas, de criação, de ambiente, que moldam o ser humano. Já se disse que o homem é produto do meio. Além disso, toda pessoa por mais perfeita que seja carrega seus defeitos e suas idiossincrasias. Se não me engano tem um mandamento da igreja que diz: “Que é para se ter paciência com as fraquezas do próximo e perdoa-las”. É necessário muita tolerância e muito diálogo. Senão não se vive junto. Cada um fica como bicho em sua jaula. Cada um pro um lado e sofrendo sozinho. Uma andorinha só não faz verão. Vive só e sem ninho. Sofrendo frio e desolação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Luiz Antonio de Almeida itens compartilhados

Ocorreu um erro neste gadget
Loading...

Sobre eu e meu blog

Gosto de escrever, não o escrever por escrever, mas até uma necessidade intrínseca de me expressar, de transmitir algo, um pensamento, com ist0 eu possa despertar algo de bom em meus amigos. Muitas vezes mesmo é meu desejo de comunicação, já como disse uma amiga, sou tímido, então a comunicação verbal direta estaria dificultada, então a comunicação via internet mil vezes potencializada. Diga o que disserem, mas o computador aproximou as pessoas, que muitas vezes estavam distantes, e tinham poucas possiblidades de comunicação. E os "bloguistas" podem então dar asas a sua imaginação e exercitar as suas potencialidades, que terão mais ou menos leitores de acordo com suas possibilidades e capacidades. O meu blog é geral, pois trato de qualquer assunto, moderno, contemporâneo, assuntos atuais, problemas brasileiros e outros tantos.

Seguidores

Quem sou eu

Minha foto
Franca, SP, Brazil
Um tanto solitário, introvertido, gosto de viajar,caminhadas e leituras