quarta-feira, 21 de julho de 2010

Tristeza não paga dívidas





Uma das primeiras invenções do homem foi o fogo, elemento essencial, que deve ter mudado radicalmente a civilização até então. Diz à lenda que Prometeu roubou o fogo dos deuses para presenteá-lo aos homens e por isto foi castigado. E com isto a civilização humana deu um salto tecnológico, provavelmente foi uma das primeiras descobertas humanas e que mudou radicalmente a vida do homem. Não dá para vislumbrar a humanidade sem esse elemento essencial. Daí para as fogueiras e aos fogões a lenha foi um passo. As fogueiras protegiam o homem do acesso de animais selvagens às suas habitações e os fogões permitiram o cozimento de alimentos e aquecimento das habitações. Daí para as conversas em volta das fogueiras e dos fogões foi um passo. Estava iniciada a tradição da cultura oral e as histórias se sucediam, eram lendas, eram relatos fantásticos de lobisomens e assombrações que povoam a mente dos povos antigos. Muitas destas histórias chegaram até nós compiladas por contadores de histórias e também pela tradição oral e com isto revolucionou-se o progresso humano.

Era uma vez, assim começam a maioria das histórias, um príncipe, ou um rei ou um homem muito pobre, ou pelo contrário muito rico. Que amava muito sua esposa, para coroar este amor tão grande e dedicado ela resolveu dar-lhe um herdeiro, A gravidez até que transcorreu normalmente, mas durante o parto houve complicações, e para sua desdita, mãe e filho pereceram. Grande desânimo abateu sobre este senhor que subitamente se viu privado de seus entes queridos. Não sabia o que fazer para aliviar sua tristeza e luto. Até que resolveu viajar e conhecer terras distantes, viajou por terra e por mares distantes, mas jamais viu seu coração aliviado de sua tristeza. Até que um dia acordou assustado após ter tido sonho tão enigmático. Sonhou que sua mulher e filhos estavam num local muito escuro, úmido e triste. A sua família necessitava que alguém conversasse e rezasse por elas. Pois quem falece, ou seja, deixa este mundo de ilusões, não necessita de outra coisa senão de orações e que seus entes queridos lembrem-se das boas coisas que viveram ao lado delas. E principalmente que sintam alegria por elas. O rico senhor emendou-se e começou até a fazer caridades, foi à igreja e qual não foi sua surpresa surpreendeu-se alegre e do seu mal havia se curado. E os seus entes queridos finalmente puderam ir ter com Deus, nosso Criador.

sexta-feira, 16 de julho de 2010

Será o fim do mundo?

A vida ficou muito difícil. Lembro-me que na minha infância as comunidades eram pequenas e todo mundo conhecia todo mundo.Todo mundo era  "compadre" de  todo o mundo e é claro não existiam jornais e nem TV e a fofoca rolava solta, mas a gente notava que a maldade praticamente não existia, as casas não tinham trancas a não ser taramelas e qualquer um poderia entrar e  não entravam.    Atentados a  propriedade eram muito raros.     Mesmo outros tipos de crimes eram pouco frequentes, a maioria se incluiam na categoria dos crimes passionais ou seja aqueles ocasionados por causa do amor, inveja, ódio, vingança. Desde que o homem é homem a sua índole foi sempre a mesma. Mas mesmo estes em número ínfimos comparados  com a atualidade. É verdade que eramos ignorantes de muitas coisas, pouco informados e semianalfabetos, não conhecíamos muitas regras de higiene e saúde, de maneiras que a mortalidade infantil principalmente era muito alta nestas localidades. Por outro lado a vida era muito livre, o mundo era muito grande e os horizontes vastos. Não conheciamos a poluição sonora, o ar era límpido e diáfano. Em certo sentido apesar de muitas melhorias atuais eu ainda preferiria viver novamente minha infância naquelas vastas campinas em que a gente enxergava ao longe as serrarias a perder de vista no horizonte. Mas hoje que tristeza horizontes curtos de poucos metros no máximo poucas centenas, poluição visual e sonora intensas, poluição mental através da televisão e internet sugerindo pornografias de toda a espécie. Jogar bola na rua pelo menos nas regiões mais centrais nem pensar, jogo de bolinhas de gude que era nosso esporte predileto quase não vejo, pois é só asfalto e cimento. Subíamos em arvores fazíamos balanços com cordas, hoje quase não existem arvores na cidade, as que estão na região rural também estão acabando. Agora pergunto o que restará do mundo natural pra nossos netos e bisnetos?  Como estará a atmosfera se os vegetais e plantas que a purificam estão sendo eliminados? E o efeito estufa conseguência do excesso de queima de combustíveis fósseis: petróleo e derivados. Se prevê para futuro não muito distantes catástrofes inimagináveis em virtude do aumento da temperatura da terra: furacõee, tufões violentos, tsunamis. A venda de automóveis não para, o que mais se vê na TV, revistas e jornais é propaganda de carro. Que nos ameaça atropelar    nas  principais ruas e avenidas. Principalmente os velhos e crianças. Pergunto: Será o fim do mundo?

Luiz Antonio de Almeida itens compartilhados

Ocorreu um erro neste gadget
Loading...

Sobre eu e meu blog

Gosto de escrever, não o escrever por escrever, mas até uma necessidade intrínseca de me expressar, de transmitir algo, um pensamento, com ist0 eu possa despertar algo de bom em meus amigos. Muitas vezes mesmo é meu desejo de comunicação, já como disse uma amiga, sou tímido, então a comunicação verbal direta estaria dificultada, então a comunicação via internet mil vezes potencializada. Diga o que disserem, mas o computador aproximou as pessoas, que muitas vezes estavam distantes, e tinham poucas possiblidades de comunicação. E os "bloguistas" podem então dar asas a sua imaginação e exercitar as suas potencialidades, que terão mais ou menos leitores de acordo com suas possibilidades e capacidades. O meu blog é geral, pois trato de qualquer assunto, moderno, contemporâneo, assuntos atuais, problemas brasileiros e outros tantos.

Seguidores

Quem sou eu

Minha foto
Franca, SP, Brazil
Um tanto solitário, introvertido, gosto de viajar,caminhadas e leituras