quinta-feira, 23 de julho de 2009

O pé de Ipê

Estava até um pouco triste com a desolação que assolava: gramas secas arvores quase sem folhas, ressequidas, galhos retorcidos, céu límpido sem nenhum sinal de chuva, pudera estamos no final de julho, muita seca como é previsto para este mês. Mas eis que no caminho em meio à selva de pedra: só asfalto e cimento, me deparo com um raro e florido Ipê amarelo, arvore brasileira por excelência, aliás, nossa arvore símbolo. A atestar à ação renovadora da natureza que apesar dos maus tratos nos surpreende frequentemente dando-nos demonstrações de vitalidade e beleza, como a floração do Ipê nesta época. Assim também é a vida sempre renovando e nos surpreendendo a cada passo. Daí me vem à baila a história daquele casal que sempre se encontravam para namorar embaixo de um pé de Ipê, diz a história que era perto de uma encruzilhada, mas daí veio o vento e espalhou as flores do Ipê, veio a vida e nos separou, deixamos a nossa juventude pra trás e outros caminhos trilhamos, eu sem você e tu sem mim. A vida traçou outros planos para nós. Mas ainda ao avistá-lo ouço ainda o canto daqueles passarinhos de outrora, lembro-me daquele candido beijo que lhe dei, você pejada de vergonha, na sua timidez infantil. Hoje já com minhas cãs, penso que bobo que fui. Pois naquela época tínhamos o mundo, mas deixamos o tempo passar e ele passou inexorável e nos levou tudo, inclusive a inocência daquele beijo.

2 comentários:

  1. Muito bonito Luiz. Como diz sua filha Marina vc é uma pessoa muito culta e nos seus blogs isto demonstado: você do cotidiano, passando pelas ciências, por noticiais contemporaneas onde você pega um gancho para desenvolver um assunto. Sua filha disse mais: foi dele que herdamos o gosto pelo conhecimento e pelo saber.

    Um grande Abraço. Sua Mana Maria

    ResponderExcluir
  2. Fiquei emocionado pela história que escrevi, me surpreendeu também tanta sensiblidade no pequeno conto que escrevi. Já há muito tempo passado notei o feliz comentário que vc fez. Como a história do Ipê a vida tb separa as pessoas que deviam se respeitar mais. Sei que tb errei e peço desculpas. Se isso adiantar alguma coisa é lógico.

    ResponderExcluir

Luiz Antonio de Almeida itens compartilhados

Ocorreu um erro neste gadget
Loading...

Sobre eu e meu blog

Gosto de escrever, não o escrever por escrever, mas até uma necessidade intrínseca de me expressar, de transmitir algo, um pensamento, com ist0 eu possa despertar algo de bom em meus amigos. Muitas vezes mesmo é meu desejo de comunicação, já como disse uma amiga, sou tímido, então a comunicação verbal direta estaria dificultada, então a comunicação via internet mil vezes potencializada. Diga o que disserem, mas o computador aproximou as pessoas, que muitas vezes estavam distantes, e tinham poucas possiblidades de comunicação. E os "bloguistas" podem então dar asas a sua imaginação e exercitar as suas potencialidades, que terão mais ou menos leitores de acordo com suas possibilidades e capacidades. O meu blog é geral, pois trato de qualquer assunto, moderno, contemporâneo, assuntos atuais, problemas brasileiros e outros tantos.

Seguidores

Quem sou eu

Minha foto
Franca, SP, Brazil
Um tanto solitário, introvertido, gosto de viajar,caminhadas e leituras