quarta-feira, 25 de março de 2009

Saudade do Matão

Às vezes tenho uma saudade imensa dos meus que já se foram, que se encontram dormindo na noite dos tempos. Estes tempos eram tão bons e não voltam mais. Mas que dá uma saudade e dá uma tristeza dá. Desculpem-me os mais novos. Mas recordar o passado é uma característica dos mais velhos. Naquela época a vida era mais simples, não havia televisão, telefone, shopping centers. O aparelho mais sofisticado da casa era o radio, este aparelho como a televisão hoje, quase todo o mundo tinha, era por ele que se faziam as comunicações, as notícias. Quem é daquela época lembra-se muito bem das novelas que eram encenadas pelo rádio, sim claro! E todo o mundo assistia. A música era então muito fácil era só ligar o rádio nalguma emissora e ouvir a música preferida. Havia o famoso Repórter Esso, o testemunho ocular da história. Que quando acabou o seu locutor, aliás, ficou muito famoso, pois no ultimo programa chorou o fim do mesmo.
O telefone era uma dificuldade, praticamente ninguém o tinha em casa, devia ser muito caro, então tinha que ir ao posto telefônico e solicitar a telefonista uma ligação, se era interurbana era demorada, principalmente pra São Paulo, às vezes demorava mais de horas. Os transportes: era de ônibus, trens ou carro próprio. O automóvel era raro e objeto de luxo, era importado dos Estados Unidos ou Europa. Poucos tinham o privilégio deste meio de transporte. O mais comum era o lombo de burros, ou então de pau de arara mesmo, para os menos desafortunados. Jornal me lembra de ter lido poucos, crimes não havia. Só que de vez em quando um roubava a mulher do outro. Este tipo de contravenção era considerado falta grave! E muitas vezes a honra era lavada com sangue. Fora estes pequenos senões, nada é perfeito, a vida era uma maravilha, tranqüila, sossegada, trabalho não faltava, e havia fartura. O Brasil um país tipicamente rural com maior parte de sua população habitando as regiões rurais. Ou seja, antes do êxodo rural, mas isto já é outra história. Até mesmo nas capitais a vida era tranqüila, com poucas ocorrências de crimes. Havia criminosos famosos como Meneguete, o bandido da luz vermelha. Crimes famosos houve, como o famoso crime da mala. Em que um imigrante italiano, tentou embarcar, uma famosa mala sinistra no porto de Santos com direção a Itália. Os cinemas tinham filmes muitos bons de primeira linha, era o tempo do Cinema Italiano, da Novelle Vague, máxima expressão do cinema francês. Tinha Jeanne Moreau, Ana Magnani, como as divas Européias. Marilyn Monroe, representando as divas americanas. Os galãs masculinos, então eram Clark Gable, Fred Astaire, Dirk Bogard, etc. Penso em rápidas pinceladas ter dado uma idéia das épocas passadas. Perdoem-me os moços, mas tinha que fazê-lo como uma forma de resgatar um pouco a época em que viveram meus pais e avós. E como era boa. Mas claro! Não existe a perfeição, defeitos havia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Luiz Antonio de Almeida itens compartilhados

Ocorreu um erro neste gadget
Loading...

Sobre eu e meu blog

Gosto de escrever, não o escrever por escrever, mas até uma necessidade intrínseca de me expressar, de transmitir algo, um pensamento, com ist0 eu possa despertar algo de bom em meus amigos. Muitas vezes mesmo é meu desejo de comunicação, já como disse uma amiga, sou tímido, então a comunicação verbal direta estaria dificultada, então a comunicação via internet mil vezes potencializada. Diga o que disserem, mas o computador aproximou as pessoas, que muitas vezes estavam distantes, e tinham poucas possiblidades de comunicação. E os "bloguistas" podem então dar asas a sua imaginação e exercitar as suas potencialidades, que terão mais ou menos leitores de acordo com suas possibilidades e capacidades. O meu blog é geral, pois trato de qualquer assunto, moderno, contemporâneo, assuntos atuais, problemas brasileiros e outros tantos.

Seguidores

Quem sou eu

Minha foto
Franca, SP, Brazil
Um tanto solitário, introvertido, gosto de viajar,caminhadas e leituras